O vidro é um material leve, em termos visuais, que permite a entrada de luz natural nos ambientes residenciais. É muito empregado em projetos decorativos e arquitetônicos modernos, de vanguarda, despertando a curiosidade sobre suas formas de aplicação e gerando encantamento com seus efeitos estéticos. Vidro na decoração é sinônimo de elegância e sofisticação!

O design estuda a aplicação e a usabilidade do vidro em móveis, luminárias, nichos, objetos decorativos, revestimentos de parede. A Arquitetura está atenta ao uso do vidro em termos mais ligados ao estrutural de uma construção. Ele também é utilizado para criação de obras de arte, estando presente nos mais variados níveis de vivência do espaço residencial.

Conhecer as tendências de utilização do vidro na decoração amplia a criatividade, proporciona escolhas estéticas mais conscientes e facilita o diálogo com os profissionais envolvidos na reformar da casa. Conheça, a seguir, as principais tendências para todos os ambientes do lar!

Por que usar vidro na decoração?

O vidro é um material versátil, sendo amplamente utilizado desde taças para vinho até fachadas residenciais, sendo muito durável e resistente. Devido à sua transparência, torna os ambientes mais amplos, seja a partir de seu uso como espelho em espaços pequenos, ou como paredes de vidro em salas de grandes residências, integrando os ambientes interno e externo.

Os espaços também se tornam mais leves sem a presença de paredes de tijolo como divisórias, as quais vem sendo cada vez mais substituídas por portas de correr de vidro ou mesmo ficando sem divisão física.

O vidro na decoração pode ser aplicado em todos os ambientes, com formas, cores, texturas e acabamentos diversos. Sua manutenção é simples e rápida.

Ele encanta com sua transparência, cor e dependendo do ambiente onde for aplicado, pode gerar um contexto mais sensual ou mais religioso. Conheça, a seguir, a importância do vidro na decoração ao longo da história da arquitetura e design, tornando-o um dos materiais mais utilizados em termos de vedação e decoração.

Vidro na decoração: a importância para o Design e Arquitetura

Em termos históricos, mesmo antes de dominar a técnica de fundição, o homem já utilizava o vidro natural para criar utensílios (lascado, polido ou lapidado) que facilitassem a sobrevivência no dia a dia, durante o Paleolítico. Essas transformações do vidro natural em objetos utilitários, dizem sobre a origem do Design, quando o ser humano começa a pensar sobre a relação forma e função entre matérias-primas e objetos.

O vidro passa a fazer parte da vida cotidiana humana durante a Antiguidade, tornando-se cada vez mais essencial às sociedades, fazendo-se presente a partir de vidraças de janela, vidros ornamentais, espelhos, garrafas e demais tipos de embalagem. Em contextos rurais ou urbanos, o vidro sempre esteve presente auxiliando o homem a ter mais conforto e segurança.

O vidro começou a ser empregado com mais frequência pela Arquitetura, a partir do século X (França), durante a Idade Média, fim do período românico e início do período gótico. O estilo arquitetônico românico, próprio do período das cruzadas europeias, é caracterizado por construções com paredes grossas e poucas aberturas para entrada de luz e circulação de ar.

O principal objetivo era proteger os moradores dos ataques estrangeiros.

As principais construções góticas são religiosas, principalmente grandes catedrais francesas e alemãs, sendo muitas delas declaradas patrimônio mundial pela UNESCO. O Gótico possibilita a ampliação da altura das catedrais a partir de inovações técnicas, como os arcos ogivais, os contrafortes e arcobotantes que aliviaram o peso sobre as paredes.

Durante esse período, grande parte das pessoas eram analfabetas e o uso dos vitrais surge como possibilidade de contar as passagens bíblicas e trazer maior iluminação para o interior das catedrais. O Gótico torna a arquitetura mais leve, arejada e iluminada, em comparação com o período românico.

Desde então, o vidro adquire a simbologia de um material que permite o contato como o divino, por meio da iluminação natural nas habitações. Os vitrais coloridos, além da luz natural, trouxeram também a cor para o interior das catedrais, criando efeitos de luz que até hoje encantam milhares de pessoas.

As claraboias e domus são elementos essenciais para a arquitetura pois propiciam iluminação e ventilação naturais para os espaços internos, além de gerar maior conforto térmico e economia de energia. Essas aberturas têm a capacidade de iluminar até oito vezes mais quando comparadas com janelas de mesma dimensão.

O uso de claraboias e telhados de vidro

O uso de claraboias é uma forte tendência decorativa pois além de ser ambientalmente correta, torna a estrutura da casa mais leve e gera maior aproximação dos moradores com a natureza. Já imaginou dormir observando o céu estrelado, de dentro do seu quarto?

A claraboia é a denominação de um tipo dos vários possíveis para aberturas em teto, existindo ainda a cúpula, a claraboia tubular, o átrio, o lanternim e o shed. Antes de projetar esse tipo de abertura é necessário conhecer a vizinhança, compreendendo como os moradores manterão a sua privacidade.

Para se ter uma claraboia também é necessário que o telhado tenha sido projetado para isso, não sendo recomendado o corte posterior de lajes de concreto para esse fim.

É comum as claraboias serem instaladas em corredores, cômodos que não apresentam janelas, halls de escadas… As áreas centrais da casa são uma ótima opção por permitirem melhor circulação do ar e distribuição da luz natural. Deve-se estar atento quanto à vedação de passagem da água da chuva.

Os telhados de vidro apresentam as mesmas vantagens da claraboia e exigem pouca manutenção, seja constituído por telhas ou painéis de vidro.

Os tipos de vidro mais utilizados são os seguintes:

Vidro laminado: oferece maior durabilidade e resistência à ação dos agentes externos, como alta exposição ao sol e à chuva. Considerado um vidro de segurança, o laminado é constituído por duas ou mais placas de vidro unidas por meio de lâminas de polivinil butiral (película plástica e elástica) ou resina. Quando esse vidro quebra, seus pedaços ficam presos à película ou resina, evitando acidentes.

Vidro temperado: ideal para ambientes amplos e/ou ao ar livre, podendo ser utilizados também em varandas e como cobertura de edificações. Esse tipo de vidro passa por tratamento térmico ou químico, possibilitando maior resistência quanto ao choque térmico, flexão, flambagem, torção e peso. Também é considerado um vidro de segurança pois caso quebre, gera partículas arredondadas pouco cortantes.

Vidro opaco: trata-se de um vidro fosco, ideal para quem quer iluminar o ambiente sem perder a privacidade.

As esquadrias de alumínio e o vidro na decoração

Outro momento marcante da história, em termos de uso do vidro na decoração pela Arquitetura e Design, ocorreu durante o Modernismo (século XX), com o arquiteto alemão Ludwing Mier van der Rohe. Ele desenvolveu as famosas paredes de vidro da escola Bauhaus e essa técnica foi amplamente disseminada pelo mundo.

Paredes de vidro são uma grande tendência decorativa, estando presente tanto em casas luxuosas como em apartamentos menores (geralmente separando a sala de estar/jantar da área da varanda). Unir o vidro à beleza das esquadrias de alumínio é garantia de durabilidade, segurança e elegância.

O vidro é um material durável mas não deve ser instalado diretamente na alvenaria ou no alumínio, sem proteção, pois corre o risco de quebrar. Indica-se o uso de um material emborrachado entre o vidro e a superfície de apoio. A instalação das paredes de vidro devem ser feitas por profissionais experientes e de confiança, como forma de garantir a qualidade do serviço.

O tipo mais indicado para vedação de paredes é o vidro laminado temperado, sendo a opção mais segura.

Dicas de uso do vidro por ambientes da casa

Conheça, a seguir, algumas dicas de aplicação do vidro nos variados ambientes da casa.

Vidro na decoração dos Quartos

O vidro na decoração dos quartos pode estar presente a partir de estantes; nichos; luminárias; portas de correr; divisórias de sapateiras e armários; painéis de parede para anotação, com o uso de canetas específicas; espelhos. O estilo decorativo escolhido para o quarto é que determina as cores e formas do vidro a ser utilizado.

Os quartos são ambientes íntimos e o uso do vidro na decoração deve aumentar o conforto, a sensação de tranquilidade e descanso. Tenha sempre em mente a necessidade do uso dos vidros de segurança! Claraboias estão presentes em projetos de quarto de alto luxo.

Salas de estar e jantar

O vidro na decoração dos espaços sociais está presente a partir do mobiliário (mesa de jantar, aparadores, mesas de centro, cristaleiras, bares, adegas), das luminárias, das paredes de vidro. Uma tendência decorativa forte são os painéis de vidro que reproduzem cortinas de água.

Cortinas d’água: trata-se de uma placa de vidro na decoração utilizada como uma cascata. Para realizar a instalação é necessário ter espaço suficiente para acomodar o compressor de ar, que funciona com energia elétrica e não é necessário um ponto para alimentação de água.

O painel de vidro sai da fábrica pronto para a instalação, sendo necessário apenas encher o reservatório com água destilada. Para que a água saia do reservatório e chegue até a parte superior do vidro, é interessante que o encanamento fique embutido na parede de suporte.

É possível que a água simplesmente deslize pelo vidro ou ainda conte com mais uma placa de vidro para impedir o acesso fácil a essa água pelos moradores e visitantes. O fabricante acrescenta à água um produto especial que evita a formação de lodo, o qual poderia causar o entupimento das saídas de ar. Assim, a água permanece cristalina por muitos anos. O efeito estético dessas cortinas d’água é encantador!

Cozinhas e áreas de serviço

O vidro na decoração de cozinhas e áreas de serviço pode perfeitamente substituir o revestimento das paredes, proporcionando um efeito mais tecnológico e futurístico. Ele contribui para maior limpeza e melhor higienização desse espaços, tornando-os mais iluminados e com a possibilidade de cores neutras alcançadas apenas com esse material.

O vidro na decoração também pode ser aplicado nos móveis, como em tampo de bancadas, parte frontal de gavetas e armários em mdf. Já o temperado esmaltado gera efeitos estéticos muito elegantes.

Escadas e corredores

O vidro na decoração de escadas vai muito além dos guarda-corpos, sendo um material de tendência para os degraus de escadas, juntamente com iluminação de led. Esse tipo de projeto é extremamente diferenciado e cria um cenário repleto de sofisticação e encantamento.

Peças ícones de design, em vidro

O vidro na decoração pode ser trabalhado a partir de objetos decorativos, como vasos, esculturas e também a partir de objetos mais utilitários, como luminárias abajours, aparadores, pesos de papel. Conheça, a seguir, alguns desse objetos assinados por designers de renome internacional para inspirar sua decoração!

Chaleira Teapot, designer Menu da Scandinavia Desgins: chaleira em vidro transparente e com infusor em aço inox, permitindo que o usuário observe todo o contexto existente no interior do recipiente.

Luminária pendente Scripted Chandelier, designer Alison Berger da Hollu Hunt: em cristal tcheco com textos escritos na superfície das diversas campânulas. Os textos são de Leonardo da Vinci sobre estudos do comportamento da luz. Quando acesa, essa luminária cria um encantador jogo de luzes a partir da transparência do cristal e dos textos escritos.

Abajour Kaipo Too, designer Edward van Vliet da Moooi: a marca holandesa Moooi é puro conceito, criatividade e essa luminária não é diferente. Em vidro soprado com tonalidades que passeiam pelo vermelho, rosa e lilás, a beleza da transparência do vidro colorido também revela a estrutura interna dessa obra. É uma obra de arte, que reúne influências culturais de vários povos.

Além desses:

Aparador Pi, designer Jacqueline Terpins: aparador totalmente em vidro, com desenho geométrico reto e minimalista. Com planos de vidro transparente sobrepostos, a espessura do vidro fica em evidência chamando a atenção para o processo construtivo do móvel.

Luminária Bauhaus, designers Carl J. Jucker e Wilhelm Wagenfeld da Tecnolumen: luminária em vidro leitoso e transparente, sendo uma peça atemporal e versátil, combinando com vários estilos decorativos.

Vaso AD3 Bastão, da Cristais Cá d’Oro: é um vaso de cristal com aplicações de vidro Murano, a partir da técnica do vidro soprado. Peça de alto luxo.

Castiçal Bone, designer Elisa Peretti para Tiffany&Co: Elsa Peretti é italiana, designer de jóias e sua parceria com a Tiffany&Co é um sucesso. Esse é um castiçal de vidro azul, com belas tonalidades, sendo uma peça atemporal e de extremo bom gosto.

E então, o que achou de nossas dicas sobre como usar o vidro na decoração? Aproveite e compartilhe com seus colegas! 

https://edsheerantoronto2022.com/

slot777

https://locosxgrilldoral.com/

https://www.foodluckkitchen.com/

https://www.michaelangelospizzabaltimore.com/

https://www.windsorlocksdinerct.com/

https://www.pizzeriaprunedale.com/

https://www.blueagavemexgrill.com/

https://antelopeislandcauseway.com/

slot bet 100

pragmatic play

https://www.taqueriadurangoga.com/

https://www.tacotrucksstl.com/

https://garmafarm.com/

https://www.maddielousbargrill.com/

slot qris

https://dontspeakmusic.com/

https://www.rubiatapas.com/

https://www.tejasgrillandsportsbar.com/

https://www.rensselaerramspopwarner.com/

https://twobrotherspizzaandsubs.com/

slot qris 5rb

https://www.wolftrapoysters.com/

slot server thailand

https://originalpandagarden.com/

https://www.thairestaurantsanantonio.com/